Telefone: (11) 3032 - 6742      contato@genoads.com.br      Rua Álvaro Anes, 46, Pinheiros, São Paulo - SP
Please reload

Posts recentes

Custos e Nível de Serviço na Logística Farmacêutica e de Cosméticos

15/10/2014

A indústria farmacêutica pode ser definida como um complexo de processos, operações e organizações envolvidas na descoberta, desenvolvimento e produção de remédios e cosméticos.

 

De uma forma geral, os custos logísticos de grande parte das empresas farmacêuticas e de cosméticos são altos e, atualmente, há uma tendência neste ramo em reconhecer a logística como um meio de agregar valor ao consumidor e ao investidor. Agregar valor não signifca somente reduzir custos, mas também melhorar os níveis de serviço e aumentar a visibilidade e planejamento na cadeia de suprimentos.

 

O contexto atual das indústrias farmacêuticas e de cosméticos é o seguinte:

  1. Altos leadtimes (tempo entre pedir um lote e recebê-lo). Em alguns casos, o leadtime é de aproximadamente 6 meses;

  2. Lote mínimo grande, representando algumas vezes o equivalente à demanda de 6 meses a um ano;

  3. Política de estoque mal definida. Muitas vezes não é estudado qual estoque de segurança a empresa deve adotar para cada produto, ocasionando em excess de backorders e vendas perdidas ou em excesso de estoque.

Dessa forma, torna-se essencial:

  • A redefinição de políticas de produção. Deve-se alinhar o planejamento e controle da produção com a gestão de estoque e com a previsão de demanda.

  • O estudo da melhor política de estoque para a empresa. Considerando o alto valor agregado dos produtos farmacêuticos, o custo de capital - muitas vezes representado pelo working capital - representa uma parcela importante dos custos, devendo ser bem gerenciado. Além disso, os custos de venda pedida, backorder e o nível de serviço desejado devem ser avaliados.

MAS COMO ESTUDAR A LOGÍSTICA E A PRODUÇÃO DE MANEIRA INTEGRADA ANTES DE ADOTAR ALGUMA MEDIDA?

 

Uma das possibilidades de se estudar de forma integrada a gestão de estoques e o planejamento e controle da produção é através da simulação computacional. Sistemas complexos como o descirto acima necessitam ser testados em diversas condições.

 

Por exemplo, o que aconteceria se a área de planejamento e controle da produção diminuísse o lote mínimo de um determinado produto? Haveria redução de custos de estoque, aumento do custo de produção e/ou melhora do nível de serviço? Seria interessante diminuir o leadtime?

Essas perguntas são chamadas de perguntas "E se?" (ou,  

em inglês, what if?), e basicamente representam as dúvidas em relação às decisões que devem ser tomadas pela empresa. Nesse contexto, um modelo computacional pode representar o sistemas real e prover as respostas de acordo com as mudanças nesse sistema.

 

Utilizando um modelo computacional, o tomador de decisão ganha uma visibilidade muito maior de um sistema complexo, podendo testar diversas estratégias e escolher a que melhor representa os objetivos da empresa.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

Arquivo
Categorias
Please reload